Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

4 sapos

4 sapos

30
Jul19

Por terras alentejanas


Mãe Maria

IMG_20190728_102105.jpg

IMG_20190728_102056.jpg

IMG_20190728_102032.jpg

IMG_20190728_113352.jpg

IMG_20190728_112447.jpg

IMG_20190728_113626.jpg

IMG_20190728_103455.jpg

IMG_20190728_184147.jpg

IMG_20190728_175052.jpg

 

 

 

IMG_20190728_171840.jpg

IMG_20190728_184452.jpg

IMG_20190728_190944.jpg

IMG_20190728_171356.jpg

 

 

 

 

 

 

Fui até ao Alentejo. Fui num pé e vim noutro.

À medida que nos aproximávamos desta província, a paisagem indicava isso mesmo. Campos amarelos, longos, despidos, palhas, terrenos sedentos de água, oliveiras antigas, sobreiros descascados, animais nos campos que me pareceram magros, casas e estábulos caiados de branco e debruados, ora a azul, ora a amarelo palha.

As Vilas Alentejanas mantêm os mesmos tons de branco caiado, debruado a azul ou amarelo palha, mas há ainda o vermelho bordô a lembrar o sangue derramado pelos toiros por cada estocada do toureiro.

Em cada aglomerado de casas a cobrirem estas paisagens planas, tão caiadas de branco, encontrei uma arena redonda, bordô e branca, onde o toiro será espetáculo até à ovação dos espectadores.

Há pouca gente nas ruas, talvez fugidas do sol quente.

Nos cafés há gente lânguida nos movimentos, não preguiçosos, mas gente que vive a calma que o próprio ambiente lhes permite. O movimento mais alegre e movido, avistava-se nas piscinas que os municípios vão construindo para as suas gentes, uma forma de retrair a fuga dos mais novos e fazê-los prender às suas terras de nascença.

Há património preservado, igrejas bonitas e cuidadas, há castelos, muitos, alguns ainda gementes do terramoto de 1745, mas notava-se um esforço dos senhores da gestão autárquica para que não caírem no absoluto abandono.

Redondo estava vestida de flores, na sua festa bianual da flor, onde a azáfama das gentes dura dez meses, para que a Vila seja uma montra aos muitos visitantes que a abraçam neste dia. Confesso que não é a minha perdição este tipo de manifestações do povo. Não por vaidade mas pelo mar de gente, desassossegando a calçada. Contudo admirei o esforço e trabalho digno e perfeito de cada elemento construído, e que deu cor diferente à Vila.

Vila Viçosa e o seu Paço Ducal é digno de visita e é uma Vila com muita história. Montemor já me pareceu uma cidade com alguma modernidade, com a parte antiga demasiado envelhecida, talvez à espera da conquista dos municípios.

Um dia diferente mas que valeu a pena termos saido de casa, desafiando o calor alentejano.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D