Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



À custa do dia da mãe, que aí vem, este ano o meu rapaz já se baralhou com esta questão de estar com a mãe dele e ela com a mãe dela.

Tiveram a ideia de fazerem um lanche, em casa deles, só para as duas mães. À partida parece uma boa ideia. Tenho, ainda, sociabilizado pouco com a outra mãe, mas considero-a simpática, o contrário não sei, lol, portanto a ideia deles, a mim, encaixa bem.

Contudo, tudo não passou de uma ideia e a ideia boa acabou em desaire, porque a mãe dela já não podia. Havia algo marcado na família dela e que o meu rapaz também terá de estar presente, por companhia da sua companheira.

O meu rapaz tentou antecipar o lanche, tentou adiar mas, muitos outros mas e senões se atravessaram na sua boa vontade de agradar à sua mãe e o meu sapinho mor já estava aborrecido e confuso com esta questão.

Se não houvessem estes dias, da mãe, do pai, dos avós, da criança, marcados no calendário, tudo ficava perfeito e muito mal era cortado pela raiz.

Não havia mães, avós e papás tristes porque os filhos, quando atingem a idade da parvoeira e pensam que são gente grande, não ligam peva à gente;

não havia crianças tristes porque na escola se fazem presentes e festas, e a mãe, o papá ou a vovó, não lhes ligou nenhuma ou estavam longe pelos mais diversos motivos;

não havia gavetas atuladas de uma parafernália de presentes, que eles fizeram pelas mãos deles, ou com o apoio dos professores/educadores, pois são recordações, e estas têm de ser guardadas mesmo sendo de gosto duvidoso. São deles e ponto final;

não havia mais três dias de calendário em que os filhos/netos, quando saiem para os seus ninhos, longe ou perto, não sabem como esticar os braços e pernas para estarem em todo o lado, embora nos dias de hoje um simples click num telemóvel faz uma ligação on-line com qualquer mãe/avós à volta do mundo. Neste caso resta uma ginástica, aliada a boa vontade de conseguirem estar com as suas mães, pai e avós. Pode ainda acontecer nascer uma angústia, de um dos lados, por sentirem que, esses dias, passaram e estiveram, mais mais vezes com a familia de um lado do que do outro;

não haveria crianças infelizes porque no dia da criança não foram mimados pelos seus, e se calhar os seus amiguinhos até foram a um parque de diversão especial. Bolas coisa chata, uma fristração para ele.

Mais haveria a dizer. Mas chega para eu pedir, por favor, acabem com estes dias, geradores de muita trapalhada.

Afinal, e dito de coração, dia da mãe, do pai, dos avós e da criança é TODOS OS DIAS.

 

 

 



Mais sobre mim

foto do autor