Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



15
Jul19

A mania das pressas

por Mãe Maria

No dia a dia, e no meio de tantas tarefas que nos envolvemos, há gestos que fazemos sem pensar minimamente neles e, por vezes, acabam por estrangular o nosso tão escasso tempo de fim-de-semana. Porque o tempo, nestes dois dias da semana voam, ao contrário do da semana que parece ter pilhas duracel.

Fomos, sábado de manhã, às compras ao mercado e na bancada da senhora do peixe, apaixonei-me por umas lulas frescas que resolvi comprar para as cozinhar ao almoço. Como é hábito meu, foram colocadas numa caixa de plástico que vou reciclando à medida que me vão dando, ora no talho, ora noutras compras. É a minha mania da reciclagem a falar alto.

Do mercado até casa fomos programando o que fazer a seguir. Eram vários passos que nos ocupariam algum tempo.

Vai daí, chegámos a casa, e despejámos, apressadamente, as compras e entre elas, as lulas e mais uma embalagem de carne para cozinhar no domingo, que foram arrumadas sem qualquer cuidado dentro do frigorifico.

Fomos, viemos, almoçámos fora de casa, e foi um sábado de corropio.

Já em casa e ao fim do dia, quase horas de me deitar, já intrigada com o cheiro nauseabundo a peixe, procuro por todo o lado de onde viria. Descubro, finalmente, no lava loiças e por detrás do recipiente onde coloco os talheres lavados, água a cheirar a peixe. Numa breve investigação, a mesma tinha lá caído consequência da lavagem apressada do saco que transportou a caixa do peixe. Com as pressas, nem reparámos que caiu água suja para aquele local, mantendo-se ali o dia todo. Com o calor do dia, parecia que havia peixe podre na cozinha.

No domingo de manhã, já com muitos planos na cabeça, vou ao frigorifico buscar algo para comer, quando me deparo com pingas de sangue. Numa breve pesquisa, não eram só pingas, era sangue por vários lados, consequência de ter colocado a caixa sem qualquer prato por baixo. E a santa da minha manhã foi dedicada à limpeza do frigorifico. Numa cozinha pequenina como a nossa, houve um momento que mais pareceu ter ali caído um meteorito, tal a balburdia que lá se vivia. Mais uma consequência da mania das pressas. Se tivessemos arrumado com cuidado, não teria perdido o tempo que perdi a remendar esta situação desagradável.

IMG_20190714_154626.jpg

E o que faz esta foto de bolo no meio deste texto de balburdias??

Ah, pois é. Sou fã de doces que levem limão. E pus mãos à obra, e saiu este Bolo chiffon de limão.

Ficou com aspeto tipo pudim. Como não coloquei a raspa das cascas dos dois limões que usei para retirar o sumo, não ficou com sabor intenso a este fruto, o que acho uma pena.

Mas porque raio não as coloquei? Ralar não custa nada, não é? Pois então, tinha metido na cabeça que o ia fazer e fui dando ordens à máquina para ir batendo o bolo enquanto limpava o frigorífico. Ora, não sendo uma cozinha grande, esta estava de pantanas. A gestão do tempo e espaço foi complicada. Ir buscar o ralador, ralar o limão teriam sido um agravamento do tempo pois ainda tinha de me dedicar ao almoço, sob pena de haver atrasos. E havia visitas para a refeição.

Conclusão: habituámo-nos a correr e algo tem de ficar para trás ou acaba por gerar consequências que nos levam o resto do pouco tempo que nos sobra para o lazer, ou a não ficarem perfeitas.

Contudo, no meio de tanta asneira para querer esticar o tempo, uma fatia deste bolo a acompanhar o café, soube que nem ginjas!


11 comentários

Imagem de perfil

Cláudia Ventura 15.07.2019

hahahahaha há dias assim... Eu tento não fazer muitas experiências culinárias, apesar de gostar de as fazer, porque a cozinha, para além de ficar uma balbúrdia, as coisas nuncam ficam como nos livros. E, para ajudar, aqui nos Açores não se encontram muitos dos ingredientes que iria precisar!! Imagina, não se encontram coentros em lado nenhum!!!!! Tenho de os cultivar no jardim!!!! Blargh
Imagem de perfil

Mãe Maria 15.07.2019

Só conheci os coentros aqui mais a sul. No norte só havia a salsa e a maldita da hortelã que odeio. E a minha mãe estava sempre a mandar ir apanhá-la ao quintal para a sopa. Era um momento quase de ódio para mim, eh, eh.
Imagem de perfil

Maria 15.07.2019

Já a minha avó dizia que a pressa não nos leva a lado nenhum, mas nunca aprendi. De quando em vez faço asneira e duplico o trabalho.
O bolo parece delicioso!

Uma boa semana!
Imagem de perfil

Mãe Maria 15.07.2019

Ora bem. Foi o que me aconteceu. Só serviu foi para deixar o frigorifico limpo pois descobri muita lixeira por lá. Parecia impossível pois mais de metade não se via.
Imagem de perfil

Marta Elle 15.07.2019

É verdade, muitas vezes com a pressa cometemos erros que depois levam tempo a corrigir.
A minha cozinha também é pequena.
Imagem de perfil

Mãe Maria 15.07.2019

é verdade. Acabamos por duplicar o trabalho. Casas no centro de Lisboa, são apanágio de cozinhas pequenas. Ainda somos vizinhas, eh,eh.
Imagem de perfil

Anita 15.07.2019

Mas que bom aspecto tem o bolo
Imagem de perfil
às xs, qto mais depressa, mais devagar.
Imagem de perfil

Mãe Maria 16.07.2019

é mesmo. e desta vez perdi imenso tempo com o repor as trapalhadas só por causa das pressa em arrumar as coisas. Brrr.
Imagem de perfil

Patrícia 17.07.2019

Esse bolo tem muito bom aspecto (e eu, que adoro limão em todas as suas formas e feitios, já fiquei com vontade de ir fazer um. Mentira, de comer um!)
:)
Imagem de perfil

Mãe Maria 17.07.2019

ah, ah. estás como eu: mousse de limão ou lima, gelado de limão, tarte de limão...bom, já me babei!!!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor